Cura Reconectiva® e Reconexão®

Neste fim de semana fui a uma palestra sobre Cura Reconectiva® e Reconexão®, muito interessante. Se trata da união entre Ciência e Espiritualidade, por meio das novas descobertas da Física. Acredito estar aí o futuro da Medicina!

Featured imageFeatured image

Para quem quer saber mais a respeito, abaixo segue o filme “The Living Matrix” com o fundador do The Reconnection, Dr. Eric Pearl.

Saudações! Namastê! Shalom!

O Despertar Espiritual

Estou compartilhando aqui um vídeo maravilhoso que assisti hoje, com um resumo bem prático de como é um Despertar Espiritual. Sou muito grata ao canal Plenessência por essa luz.

GRATIDÃO! GRATIDÃO! GRATIDÃO!

Saudações! Namastê! Shalom!

Acredite, faça e espere

Você não consegue conectar os fatos olhando para frente. Você só os conecta quando olha para trás. Então tem que acreditar que, de alguma forma, eles vão se conectar no futuro. Você tem que acreditar em alguma coisa – sua garra, destino, vida, karma ou o que quer que seja. Essa maneira de encarar a vida nunca me decepcionou e tem feito toda a diferença para mim. (Steve Jobs)

Featured image

Saudações! Namastê! Shalom!

O naipe de Espadas “apareceu” pra mim

Pois é… apareceu… pela segunda vez na minha vida! Explico:

Hoje, durante minha meditação à tarde, entoando o mantra de Ganesha (OM GAM GANAPATAYE NAMAHA) tive uma visualização do naipe de Espadas.

Featured image

Ao terminar, resolvi “fuçar” na internet sobre os significados deste símbolo, para saber se havia alguma mensagem para mim. Pois vejam vocês que fiquei mais “perdida que cego em tiroteio”! Mas depois de muito ler e raciocinar (e intuir) cheguei a algumas conclusões, assim no plural mesmo, porque pelo que notei, tudo o que tem a ver com o tal naipe, nunca tem só uma explicação (bem que podia ter sido o de Copas!). Vejam algumas que encontrei:

Naipe de Espadas – Balãozinho preto de cabeça para baixo – Também conhecido no Tarô como Gládios.

Este Naipe refere-se ao Elemento AR, e como tal pode nos conduzir a diversos caminhos.

Relata a esfera específica do raciocínio lógico e do pensamento.

Em geral se diz: “O pensamento dói. Mas quando a cabeça deixa de pensar, o corpo começa a padecer.”

Mostra a mente como geradora de dúvidas, conflitos, angústias que estimulam o indivíduo a ser estratégico.

“A dificuldade é amiga. O Espírito avança a cada problema que resolve.”

Em Espadas, o indivíduo estará diante de um grande potencial, tanto criativo como destrutivo.

São palavras chave deste naipe: Desafios, Dificuldades, Pensamento, Astúcia, Frieza, Falta de Sensibilidade, Razão, Decisão, Clareza, Dúvida, Estratégia, Fluidez, Mudança, Movimento.

Retrata a esfera específica das faculdades de conceitualização, do raciocínio lógico e do pensamento abstrato.

É a imersão do intelecto na atividade questionadora.

Diz respeito à direcionar os pensamentos para a realização.

Num outro site encontrei o seguinte:

  • Pensamento, inteligência, trocas e intercâmbio. Fusão, cooperação dos opostos, ação penetrante do Verbo.
  • Maturidade e equilíbrio.
  • Racional, teórico, filosófico, intelectual.
  • Esforço, dificuldades, energia para a renovação.
  • Arma que desenha uma cruz e recorda a união fecunda dos princípios masculino e feminino. A espada simboliza também uma ação penetrante como a do Verbo ou do Filho.
  • No plano a identidade individual significa maturidade e equilíbrio.
  • Socialmente representaria os militares e os guerreiros; policiais e fiscais; toda atividade que toma das armas para manter uma ordem ou modificá-la. Relaciona-se ao poder apoiado pela força.
  • Corresponde ao cavaleiro, entre as figuras do baralho.
  • São os silfos e os gigantes, entre os espíritos elementares.

Aspecto masculino de Espadas: o Adolescente (Átis, Adônis, Narciso).

Lado luminoso: o Intelectual. Espírito crítico. Tático, móvel, vivo, bom passatempo, perspicaz.

Lado sombrio: o Pretensioso. O eterno adolescente. Frio, cruel, sem consideração, cínico.

Aspecto feminino de Espadas: Musas Inspiradoras (a Noiva do vento, as Sereias, a Estrela de cinema).

Lado luminoso: a Sacerdotisa (“prostituta” do templo), a Mulher independente, a Musa, a Esteticista, a Intelectual, encantadora, distante.

Lado sombrio: a prostituta das ruas, a mulher calculista, fria, impiedosa, cínica, histérica.

Sentiram o drama??? E não para por aí, tem muito mais! Mas resolvi não deixar todo mundo maluco e vou ficar nesses conceitos aí (por enquanto). Como gosto de simplificar tudo fiz a seguinte interpretação:

  • eu estava entoando um mantra de remoção de obstáculos, pois Ganesha é a divindade que remove obstáculos tanto materiais quanto espirituais, então presumo que recebi a energia necessária para a renovação (direcionar pensamentos para a realização = estratégia);
  • estou no caminho certo da busca do equilíbrio, mas ainda preciso ir mais fundo na questão de “domar” o ego.

Certo! Até aqui tudo bem, mas nas leituras que fiz sobre o assunto (sobre Tarô) vi que para uma interpretação mais completa precisa-se saber do número que acompanha a carta. Bom, eu não vi uma carta, vi um símbolo, mas…

Foi então que lembrei de um outro episódio (a primeira vez que esse símbolo apareceu pra mim) que ocorreu comigo à muuuuito tempo atrás, acredito que a pelo menos uns quinze anos: estava eu com minha família, caminhando no centro da cidade e vimos uma carta de baralho na rua, perto da calçada, virada para baixo; eu coloquei meu pé sobre ela e perguntei ao meu pai que carta era; ele deu seu palpite, minha mãe fez o mesmo e eu também; eu disse que era um Ás de Espadas (não lembro o que eles disseram); quando virei, adivinha?

Featured image

Na visualização de hoje a tarde, vi apenas o símbolo, único, não dois, nem três, apenas um. A carta do Ás tem só um símbolo certo? Então associei os dois episódios. Por que? Explico:

Numa das leituras, vi que o Ás significa tanto o começo quanto o fim (1 ou 14), depende da associação. Em outros baralhos de tarô, ele é representado como uma mão saindo de uma nuvem, segurando uma espada coroada.

Featured imageFeatured image

Dessa forma analisei que, depois de tudo o que passei na vida até hoje (que não vem ao caso) acredito que naquele momento se iniciou meu caminho espiritual, através do “entrar na nuvem”, lutar, entrar em conflito interno, para agora começar a despertar e a entender o porque de tudo o que aconteceu, o “sair da nuvem”. O fechamento de um ciclo, para iniciar o próximo. Veja uma das explicações que encontrei:

Ás de Espadas. É engraçado pensar que o Ás, justamente por seu potencial criativo, seja considerado positivo. O Ás é a síntese do naipe e, se tratando de Espadas, positivo não é a melhor palavra, grosso modo. O naipe de Espadas fala de conquistas, delimitação de espaço, consecuções, limites, ampliação das possibilidades, estratégias e conflitos. E, mesmo no melhor aspecto, não é comum desejar enfrentar esse tipo de desafios. Fortalecem nossos músculos e nossa vontade, mas raramente percebemos isso no durante; é mais comum percebermos após o encerramento da fase. Repito: Espadas é bom quando acaba…

Agora veja você que depois dessa “viagem astronômica” aí eu notei uma outra coisa: lembram que disse que vi esse símbolo quando estava entoando um mantra de Ganesha? Pois é, eis que estou com uma imagem dessa divindade como papel de parede de minha área de trabalho do notebook, o qual visualizei segundos antes de fechar os olhos e começar a meditar. Agora olhem o símbolo que tem na face de Ganesha, se não parece um pouco com o naipe de espadas?

Featured image

Talvez tenha sido esse símbolo que vi, rapidamente, que me lembrou o naipe. Adivinha… comecei uma nova pesquisa (louca eu? capaz!). O símbolo é uma Trishula, ou Tridente de Shiva. Segue:

– Na testa [de Ganesha], o Trishula (arma de Shiva, similar a um Tridente) é desenhado, simbolizando o tempo (passado, presente e futuro) e a superioridade de Ganesha sobre ele (…)

Esta arma possui uma simbologia, com relação ao número de pontas que possui. Por ser um tridente, cada ponta de sua lança tem seu significado, sendo diretamente relacionadas com as três qualidades da matéria: tamas (a inércia ou a existência), rajas (o movimento ou firmamento) e sattva (o equilíbrio ou trevas). Ainda pode ser representado como o passado, presente e o futuro, visto que Shiva domina a naja, serpente mais mortifera de todas, dando assim, potencial de imortalidade.

É um instrumento para aniquilar as qualidades negativas e a ignorância existente no interior na mente humana.

Como estou numa onde de positividade, acredito na interpretação positiva do ocorrido. Talvez nem seja tudo isso, seja bem mais simples, mas como gosto de pesquisa e sou fascinada pelos símbolos (eu e o professor Robert Langdon), acabei descobrindo tantas coisas e me aprofundei. Num resumo de tudo isso acredito que: 1) as dificuldades do passado foram positivas no sentido de que me deram a força necessária que preciso hoje para o que está vindo; 2) ao invés de “lutar” contra a mente e os pensamentos, devo simplesmente reorganizá-los, fazer a mente atuar a favor do que eu quero, criar estratégias reais para chegar ao objetivo, além de buscar as respostas da intuição; 3) vencer todos os tabus e preconceitos ainda existentes em mim, fruto de experiências anteriores ruins, e substituir por novos conceitos, baseados em todos os estudos que estou fazendo e “recebendo”. Valeu a pena passar a tarde estudando símbolos!

GRATIDÃO! GRATIDÃO! GRATIDÃO!

Saudações! Namastê! Shalom!

Sites que visitei (clique sobre os nomes para acessar o link):

Clube do Tarot

Biometrio

Wikipédia

Yoga Shamkara

Música Indiana Brasil

Aprendizado de fim de semana

Neste fim de semana, ao visitar a casa de parentes, eis que meu tio contou uma estória, que eu já conhecia, mas que havia me esquecido. É uma fábula, muito divertida e que tem um ensinamento grandioso. Segue:

Um velho resolveu vender seu burro na feira da cidade.Como iria retornar andando, chamou seu neto para acompanhá-lo. Montaram os dois no animal e seguiram viagem.

 Passando por umas barracas de escoteiros, escutaram os comentários críticos; ” Como é que pode, duas pessoas em cima deste pobre animal !”.

 Resolveram então que o menino desceria, e o velho permaneceria montado. Prosseguiram…

 Mais na frente tinha uma lagoa e algumas velhas estavam lavando roupa. Quando viram a cena, puseram-se a reclamar; ” Que absurdo ! Explorando a pobre criança, podendo deixá-la em cima do animal.” 

Constrangidos com o ocorrido, trocaram as posições, ou seja, o menino montou e o velho desceu.

 Tinham caminhado alguns metros, quando algumas jovens sentadas na calçada externaram seu espanto com o que presenciaram; “Que menino preguiçoso ! Enquanto este velho senhor caminha, ele fica todo prazeroso em cima do animal. Tenha vergonha !”

 Diante disto, o menino desceu e desta vez o velho não subiu. Ambos resolveram caminhar, puxando o burro.

Já acreditavam ter encontrado a fórmula mais correta quando passaram em frente a um bar. Alguns homens que ali estavam começaram a dar gargalhadas, fazendo chacota da cena; ” São mesmo uns idiotas ! Ficam andando a pé, enquanto puxam um animal tão jovem e forte !”

 O avô e o neto olharam um para o outro, como que tentando encontrar a maneira correta de agir.

 Então ambos pegaram o burro e o carregaram nas costas !!!

Featured image

Essa fábula serve para nos lembrar que não adianta tentar agradar aos outros, SEMPRE vai existir o que critica. Então o mais certo é seguir a própria intuição, e se responsabilizar pela escolha feita, independentemente de o resultado ser o esperado ou não. As escolhas são nossas, temos que tomar consciência disso e assumir. Os outros que fiquem com suas escolhas e suas criticas.

Fim de semana divertido e proveitoso!

Saudações! Namastê! Shalom!

Crédito Imagem: blog Yomga

Insight: a comunicação da intuição

Insight: [substantivo masculino] 1. clareza súbita na mente, no intelecto de um indivíduo; iluminação, estalo, luz. 2. psic compreensão ou solução de um problema pela súbita captação mental dos elementos e relações adequados. (dicionário virtual).

O insight é na verdade a forma como a intuição se comunica com a gente, na vigília. As outras formas seriam: sonhos, alucinações, presságios… O insight é algo muito rápido, uma ideia que lhe vem a mente no meio de uma atividade corriqueira, no meio de um dia normal. Como se tratam de pequenos lampejos, devemos estar atentos, sempre com blocos ou agendas por perto, para anotar a ideia rapidamente. Deixar passar é um erro, pois raramente vai voltar. Vou citar o exemplo que ocorreu comigo: ontem a noite, no meio de minha oração noturna, veio um pensamento sobre algo que eu gostaria de escrever aqui no blog; não quis interromper minha meditação, então deixei para anotar depois e como estava frio (muuuito frio) fiquei com preguiça de pegar o caderno e a caneta e anotar; hoje a tarde lembrei do ocorrido, mas não lembro sobre o que era, qual a ideia que tive, sobre o que queria escrever. Bem-feito pra mim!

Featured image

Quando estamos começando a abrir nossa consciência, a entrar em contato com nosso Eu Interior, esses insights são mais frequentes. Com o tempo e a prática de meditação, yoga, florais, etc, as mensagens começam a ficar mais claras e objetivas.

Talvez eu volte a lembrar, mas nunca devemos deixar esses lampejos passar despercebidos, pois o Universo tem suas maneiras de se comunicar conosco, e não vai ficar esperando nossa atenção e nossa atitude. Ele tem mais o que fazer! Ele tenta, se estivermos “ligados” aproveitaremos, caso contrário, paciência! Melhor esperar pela próxima #dica da nossa intuição. #ficaadica

Saudações! Namastê! Shalom!

Filme Os Agentes do Destino

Ontem, pela enésima vez, assisti ao filme Os Agentes do Destino, com Matt Damon e Emily Blunt. Acho esse um dos filmes de ficção mais interessante sobre o tema destino. Ele envolve as questões: livre arbítrio, anjos, amor, obstáculos na vida, objetivos, escolhas, Deus, destino, plano divino. Tudo de forma metafórica, mas de fácil compreensão.

O filme inteiro tem mensagens bem interessantes, portanto vale a pena assistir, mas para mim, mesmo que fosse um filme ruim no início e no meio, o final dele já vale a pena. Se não puder assistir inteiro, só o final já vale!!! É sobre esse final que resolvi fazer este post.

Featured image

David (Matt Damon) é um político em ascensão, que busca seu lugar no senado. Por acaso, ele conhece Elise, uma dançarina de personalidade forte e independente, que causa uma turbulência na vida pessoal e profissional de David. Por ela, ele resolve arriscar tudo. Mas os Agentes do Destino (seriam Anjos?) precisam evitar que eles fiquem juntos, porque está escrito no “plano” (livro com o destino das pessoas) que eles não devem se unir, pois haveriam consequências ruins para ambos. O “Cabeça” (seria Deus?) tem um plano para cada um deles. Mesmo assim, eles resolvem ficar juntos e arriscar, e começam a buscar respostas, inclusive entrando no “mundo” dos agentes, para tentar descobrir o que está acontecendo. E eis que, por causa do amor de um pelo outro eles conseguem convencer o “Cabeça” a reescrever seus destinos. Abaixo segue o diálogo final entre eles dois com Harry (Anthony Mackie) que seria o “anjo” de David, que copiei da versão dublada do filme:

– Harry, você é o Cabeça?

– Não, mas você já o conheceu, ou ela. Todos já o conheceram. O Cabeça assume diferentes formas para que todas as pessoas raramente percebam quando vai acontecer.

– Isso é algum tipo de teste?

– De uma certa forma é sempre um teste, para todo mundo… Mesmo os membros do Agentes do Destino! David, você arriscou tudo por Elise. Elise, quando você entrou por aquela porta na Estátua da Liberdade você também arriscou tudo. Pois você me inspirou! Parece que inspiraram o Cabeça também!

– Isso tem a ver conosco? [sobre o livro do destino]

– Sim.

– O que está escrito?

– Consta aqui que esta situação entre vocês dois é um sério afastamento do plano… então o Cabeça reescreveu! [neste momento ele mostra o livro com o plano reescrito, mostrando que eles podem seguir juntos]

Esse diálogo mostra que o amor entre os dois inspirou não só o Anjo de David, mas também a Deus, que resolveu mudar seu plano para que eles pudessem ficar juntos. Seria uma metáfora de que o amor realmente pode mudar tudo, e é uma das forças que inspira a Deus, a outra é a Fé. A frase “A fé move montanhas” é verdadeira e podemos observar que amor verdadeiro é uma forma de fé.

Abaixo segue a narração final de Harry, incrivelmente linda:

A maioria das pessoas vive no caminho que nós estabelecemos, com medo demais para explorar outros caminhos. Mas de vez em quando, pessoas como vocês aparecem e derrubam todos os obstáculos que colocamos… pessoas que sabem que o livre arbítrio é um presente e que você nunca poderá usá-lo a não ser que lute por ele. Acho que esse é o verdadeiro plano do Cabeça e talvez um dia nós não tenhamos que escrever o plano, e sim você!

Despertar nossa Consciência Divina, nosso Eu Interior, abrindo mão do ego e da mente vaidosa e limitadora, seria o caminho para termos realmente nosso livre arbítrio e transformar nossa vida totalmente, para melhor. Muitos acabam despertando para isso por causa da dor, da perda, do sofrimento, do “azar”… mas também existem aqueles que despertam para isso através do amor, seja por alguém, por algo que se quer na vida, na profissão, na carreira, ou por amor a Deus, que é o que chamamos de Fé. De qualquer forma é sempre libertador e emocionante.

Desejo que todos um dia despertem para seus verdadeiros “Eus”, seus verdadeiros caminhos, planos, destinos. E que todos um dia tenham a consciência de que estamos aqui com a finalidade de evoluir espiritualmente e voltar a ser Luz! Ame mais! Tenha mais Fé! Creia!

Saudações! Namastê! Shalom!

Clique aqui e assiste ao filme online na íntegra, em versão dublada.