Leitura aleatória VIII

15380736_10202462123469764_8379094800522797386_n

Pensamentos de Sabedoria – Dr. Wayne W.D. – Nova Era – 2002

Anúncios

A energia do dinheiro

Dinheiro iluminado

Olá Ciclamenses, hoje vou compartilhar com vocês um fato, inusitado, que aconteceu comigo e que me deixou intrigada por uns dias, mas no final, acho que obtive um aprendizado muito grande, sobre a energia do dinheiro. Vejam bem, essa história é verídica, ninguém me contou, aconteceu comigo. Não estou aqui fazendo propaganda de livro de autoajuda, nem querendo usar a mesma metodologia que os autores desses livros usam, até porque já li vários desses livros e nunca consegui acreditar muito neles, ou entender de fato as questões propostas por eles, mas… Vocês devem concordar comigo, coincidências não existem. Tudo é energia, tudo tem um porquê,um quando, um como. Venho buscando essas explicações em tudo o que acontece comigo, no dia a dia, afinal, a espiritualidade e o aprendizado só servem se aplicamos no cotidiano, senão são apenas teorias!

Na verdade são duas histórias, duas coisas que aconteceram, que no final se interligam. Vamos a primeira…

Dia desses, mais precisamente dia 23 de fevereiro, estava eu caminhando na rua, no centro da cidade, apressada, indo pegar o ônibus para ir para casa; no meio do caminho avistei um leque lindo, naqueles vendedores de rua, na calçada, não resisti; parei, comprei, ainda pedi desconto para o pobre do menino, que me deu o desconto, saí feliz com meu leque (está fazendo um calor absurdo no Rio Grande do Sul); no que eu saí de perto dele, nem bem virei, uma cigana “pulou” na minha frente, me pegou pelo braço, me levou para o canto e começou conversar comigo; sempre fugia delas, atravessava a rua, mas ali não tive escolha; e pior (ou melhor, depois analisaremos) é que eu queria aquilo, tinha curiosidade e tal… ela começou me pedindo para ler minha mão, eu disse que não tinha dinheiro, ela pediu R$50,00, eu comecei a rir, disse que não tinha, ela disse que não era pra eu ficar com medo, não ia me assaltar, eu continuei rindo, ela pediu qualquer valor, eu abri a carteira e dei R$10,00 (eu tinha R$50,00 na carteira, mas né!!!!), ela disse que queria os R$50,00, que sabia que eu tinha, eu disse que estava toda endividada e precisava pagar as contas; foi então que ela colocou o cigarro na boca, pegou a minha mão e disse tudo bem, vou ler pra você, falou várias coisas sobre minha vida amorosa, que sou uma pessoa que veio ao mundo pra ajudar os outros, não sei que cara eu fiz porque ela me olhou e perguntou com o que eu trabalhava, eu disse que era Terapeuta Holística, ela perguntou o que era isso, expliquei rapidamente, ela disse que era bom, combinava com meu dom de ajudar, aí tirou e colocou o cigarro na boca, olhou de novo e falou, as seguintes palavras (nunca mais vou me esquecer): “Você tem um dinheiro trancado, ele precisa sair”. Aí ela tirou do bolso uma folha de papel, vi que parecia ser uma oração, e pediu pra eu colocar a nota de R$50,00 no meio daquele papel, que ela ia passar pelo meu corpo para liberar o dinheiro, eu não dei de jeito nenhum (não sou louca!), ela insistiu, disse que não precisava ter medo, mas eu comecei a sair de perto dela, então ela disse tudo bem, me deu o tal papel e disse: “Coloca uma nota alta de dinheiro, a maior que você tem na carteira, embaixo do seu travesseiro por três noites, dorme sobre ela e não mexe nela durante esses três dias, depois pode usar”. Agradeci, disse que se recebesse um bom dinheiro, voltava e dava os cinquenta que ela queria, ela riu, saí. Peguei meu ônibus, olhando para o papel; era uma oração a Santa Sara; fui para casa pensando naquela maluquice. Sabe aquela coisa: não creio em bruxas, mas que elas existem, existem (eu sou uma) 😀 😀 😀 . Pois é, não custa tentar. Pensei. Fiz o que ela falou. Peguei a nota de R$50,00 que tinha na carteira e coloquei embaixo do travesseiro e nas três noites que deixei ali, fiz aquela oração do papel, pedindo prosperidade e abundância e abertura no meu caminho profissional e financeiro. Tirei de lá e coloquei de volta na carteira.

Bom, esse foi o primeiro fato. Agora o segundo…

Dias depois desse ocorrido, no dia 29 de fevereiro, eu tinha atendimento e também tinha uma entrega de produtos para uma prima; receberia dinheiro de ambos (atendimento, entrega), então resolvi pegar o dinheiro que tinha em casa, juntar com esses que receberia e depositar tudo no banco para quitar uma conta; não sei porque, mas resolvi colocar a nota de R$50,00 (aquela dita cuja) no bolso, ao invés de colocar dentro da carteira (pensei nos assaltos que estão acontecendo dentro dos ônibus), deixei somente notas de baixo valor na carteira; estava de bermuda jeans, então não tinha problemas; fui para o espaço onde atendo, atendi, a menina me pagou e saiu, tirei a nota de R$50,00 do bolso, juntei com mais uma nota de R$50,00 do atendimento, dobrei e coloquei no bolso novamente; fechei a sala, peguei o elevador, saí; no meio do caminho, avistei uma banquinha de chás, comprei dois, paguei com o dinheiro que tinha na carteira, lembro que levei a mão para pegar as notas que estavam no bolso, mas aí lembrei que tinha trocado na carteira e nem mexi naquelas notas; peguei meus chás e fui, a pé, até o trabalho de minha prima; chegando lá, minha irmã estava lá também (elas trabalham juntas), uma cliente, depois outra cliente, ficamos papeando, as clientes saíram, entreguei os produtos para minha prima, que me pagou; deu um total de R$60,00; guardei os trocos na carteira e a nota de R$50,00 resolvi juntar com as outras duas do bolso, foi quando a pior sensação do mundo tomou conta de mim… achei que ia desmaiar! Não tinha nada no bolso! Acho que fiquei gelada do dedo do pé ao último fio de cabelo. Devo ter ficado numa cor transparente, porque minha prima e minha irmã me perguntaram o que tinha acontecido e eu disse: gurias, perdi R$100,00 (eu tinha uma conta de aproximadamente R$200,00 pra pagar)!!! Elas tentaram me acalmar, dizendo que eu devia estar enganada, que era pra olhar na bolsa, fiz o que disseram, mas eu sabia que era inútil, pois sabia que tinha colocado as duas notas no bolso; mas sabe que nesses momentos a gente fica meio zonza, não sabe mais o que aconteceu de verdade, então despejei tudo o que tinha na bolsa, tudo o que tinha carteira e nada… resolvi voltar lá no espaço onde atendo para ver se estava por lá. Nada, procurei por tudo, até no banheiro, nada. Entrei em desespero, comecei a chorar como a muito tempo não chorava; sozinha naquele silêncio, o pôr do sol lindo entrando pelas enormes janelas do décimo andar, um espaço lindo, de cores claras, com imagens lindas e eu naquela tristeza de dar dó; sentei numa poltrona, peguei o celular e mandei um wats para minha irmã dizendo que não estava lá e que não conseguia parar de chorar; ela tentou me acalmar, não sabia o que dizer; mandei uma mensagem também para uma amiga, dona do espaço onde atendo, que é minha confidente e também minha terapeuta (terapeutas também precisam se tratar de tempos em tempos), contei o que tinha acontecido, ela me disse: “Calma Tai, não fica assim, você vai achar esse dinheiro, faz o seguinte, reza para São Miguel Arcanjo e pede pra ele te ajudar”. O espaço dela é protegido por São Miguel e ela é devota dele, além de trabalhar na frequência dele, então fiz o que ela disse, me ajoelhei, chorando, pedi pra ele me acalmar, pra me conformar e pedi, com todas as minhas forças e com todo o meu coração que a pessoa que achou aqueles R$100,00 estivesse precisando muito mais do que eu e também pedi para que ele me ajudasse a recuperar rapidamente aquele dinheiro, para poder pagar a conta. Parei de chorar, tomei um floral emergencial, sentei de novo, respirei fundo e me lembrei da cigana. Quando me lembrei dela, na hora pensei nas palavras: maldita, safada, praga de cigana… mas aí, de repente, o pensamento foi mudando para: esse dinheiro tinha que ir embora, por algum motivo que ainda não sei qual é, mas tinha (você tem um dinheiro trancado, ele precisa sair). Saí do espaço, fui pra casa. No ônibus, lembrei que estava carregando a oração que ela me deu, na carteira. Cheguei em casa e tirei a oração da carteira, pensei em queimar, mas não fiz. Deixei por lá. Cheguei em casa no início da noite e antes do jantar recebi uma mensagem, de uma moça querendo contratar uma leitura de Tarot Terapêutico (um dos meus trabalhos, que cobro R$50,00 a sessão); passei os dados da conta para depósito; às 23:00 horas, quando já tinha desligado computador e descido para assistir um pouco de TV, vi no celular que tinha uma mensagem no Messenger, entrei e vi que a pessoa tinha mandado a dias, mas como não tenho ela como amiga no facebook, estava em “Outros” e eu não tinha visto, era outra pessoa querendo, também uma leitura de Tarot Terapêutico (mais R$50,00)… comecei a rir. Sério, sozinha na sala, no escuro, comecei a rir e agradecer a todos: São Miguel, meu Anjo da Guarda, ao Grande Espírito. Em breve estaria recuperando o dinheiro perdido.

Porque estou contando tudo isso só agora, visto que aconteceu lá em fevereiro. Porque hoje, neste dia, depois de pensar sobre valores de trabalho, uma promoção que fiz num grupo do Sagrado Feminino, um insigth tomou conta de mim e percebi, enfim, o significado disso tudo e de tudo o que aqueles livros pregam: a energia do dinheiro. A cigana me disse que eu tinha um dinheiro trancado e que precisava sair. Pois ele saiu. E voltou. E desde aquele dia, não parei mais de “receber”. Não só dinheiro, tenho trabalhado sim, com atendimentos, fiz uma palestra sobre o feminino, foram poucas mulheres, mas o evento chamou a atenção de outras pessoas, que moram em outras cidades e já estou em negociação para levar o evento a uma cidade, dia 08 de abril, com muito mais mulheres… recebo presentes, do nada; pessoas me dão coisas que estou usando em meu trabalho; pude fazer minha iniciação no Reiki, que era uma coisa que a muuuuito tempo queria fazer, pois sempre tive amor por essa técnica, mesmo quando não sabia exatamente o que era; estou tendo muitas ideias com relação a divulgação do meu trabalho, a trabalhos diferentes, a promoções, etc… tudo está fluindo!

Hoje, comecei a pensar nisso tudo e percebi o seguinte: tudo é energia, certo? Pois dinheiro também é energia, e energia precisa fluir; o dinheiro pode ter uma energia negativa ou positiva, a gente é quem decide isso; se toda vez que formos pagar algo, reclamamos ou sentimos pena de pagar, ou entregamos o dinheiro sem vontade, sentindo vontade de não entregar, com dúvida se está certo pagar aquilo, estamos automaticamente colocando a energia negativa naquela troca, bloqueando a energia, estagnando; se temos, desde pequenos, o pensamento de que gente rica explora gente pobre, quem tem mais sempre vai ter mais e quem tem menos sempre vai ter menos e eu sou da parte dos que tem menos, então é exatamente isso que vai continuar acontecendo; se continuarmos pensando que o dinheiro é o mau do mundo, ele vai continuar sendo; e se a gente quer ser uma pessoa boa, não condiz ter dinheiro, afinal ele é uma coisa ruim! Agora, se toda vez que vamos pagar algo, pensarmos que aquele dinheiro está sendo bem investido e irá retornar de alguma maneira, é isso que vai acontecer; se ao cobrarmos por um trabalho, tivermos a certeza de que estamos justos no que estamos fazendo, que aquela cobrança é uma energia positiva que está vindo por nosso merecimento e dedicação, teremos mais motivos para receber essa energia; se passarmos a ver o dinheiro, todo e qualquer, o que sai e o que entra como uma energia de troca e agradecer sempre (pelo que entra e pelo que sai), o dinheiro vai fluir em nossa vida de forma natural.

Pois é, tudo isso está lá naqueles livros. Mas quando a gente está lendo, acha que deve começar a pensar daquela forma, e começa a pensar. Aí, acontece algo que contraria o que estamos pensando e automaticamente mudamos o pensamento: “Isso não funciona; sou azarado(a) mesmo; não estou fazendo certo; escreveram isso pra vender livro e ganhar dinheiro em cima da minha ignorância; etc, etc, etc”. Entramos na frequência contrária rapidamente. Só que tem o seguinte, primeiro que não é apenas pensar positivo, é SENTIR de verdade que o dinheiro é uma energia e eu mereço; segundo, ser positivo quando tudo está bem é fácil, ser positivo quando algo ruim acontece é que é a prova de que se aprendeu de verdade a lição e conseguiu mudar a frequência da vibração energética! E a vida testa, pode ter certeza, que a vida vai testar o que estamos aprendendo. Isso eu posso garantir!

Além de tudo isso, comecei a pensar em numerologia, pois tudo o que aconteceu comigo foi em volta da nota de R$50,00 = 5. Cinco é o número da humanidade, dos cinco sentidos (percepção), na Cabala, corresponde a letra He, respiração, a corrente vital que circula no corpo (fluidez natural). E ainda tem uma outra questão, do Xamanismo… estou fazendo um mini curso sobre Animal de Poder e num dos dias fizemos uma vivência: devíamos entrar em meditação, fazer uma pergunta sobre algo que queremos resolver em nossa vida, esperar qual animal apareceria para nós e qual mensagem ele nos passaria. Fiz, perguntando sobre como abrir meus caminhos financeiros, como me abrir para a prosperidade e recebi uma borboleta amarela, batendo as asas na minha frente, ela não me passou nenhuma mensagem, não ouvi nem intui nada, apenas fiquei observando-a. Horas depois, estava eu olhando as postagens do facebook e me deparei com uma postagem de um conhecido, uma imagem de uma borboleta com aquela frase famosa: Não corra atrás das borboletas, cuide do jardim para que elas venham. Mensagem mais direta que essa, só jogando com um tijolo junto! 😀

Borboleta, transmutação, transformação, bater de asas sem barulho, fluindo… É muita coincidência junto para deixar de lado não acham? E coincidências não existem, tudo está interligado, tudo tem uma explicação, então…

Desculpem o texto longo, mas queria passar minha experiência a todos, para de alguma forma ajudar a quem esta passando pelo mesmo que eu passei, durante anos da minha vida: não conseguir ganhar dinheiro, não entender porque não consegue prosperar, não saber lidar com o tal do dinheiro. Me livrei disso e desejo, de coração, que todos se livrem. Precisamos fazer essa energia fluir e se tornar cada vez mais positiva. E a crise? Sim, ela existe, mas o dinheiro ainda existe, está em algum lugar, vamos movimentá-lo, por favor!

Blessed be! Namastê!